Acessibilidade

Engenharia de Manutenção

Engenharia de Manutenção

Objectivos

Esta nova oferta formativa correspondente ao Curso de Mestrado em Engenharia da Manutenção resulta da percepção da necessidade de quadros qualificados em Engenharia de Manutenção dirigido à Indústria no espaço Europeu.

O Mestrado em Engenharia da Manutenção tem como principal objectivo proporcionar uma formação especializada de nível superior, em regime laboral e pós laboral, a cidadãos que possuam um primeiro ciclo de estudos em Engenharia. Prevê-se que a maioria dos potenciais alunos para este curso sejam Engenheiros Mecânicos, Engenheiros Aeroespaciais, Engenheiros Aeronáuticos, Engenheiros de Materiais, Engenheiros de Máquinas Marítimas, Engenheiros Navais, Engenheiros de Mecatrónica, Engenheiros Electromecânicos, bem como, Engenheiros em áreas do conhecimento afins às mencionadas, refém formados ou já em funções na indústria. Desta forma o Curso que se propõe é constituído por unidades curriculares que se organizam em obrigatórias e optativas, para que os diferentes candidatos obtenham um conjunto equilibrado e flexível de competências, tendo sido estruturado para formar um todo coerente com a Licenciatura em Engenharia Mecânica ministrado no ISEL – Instituto Superior de Engenharia de Lisboa.

É intenção da Área Departamental de Engenharia Mecânica do ISEL complementar a oferta de formação existente na Instituição, numa área de conhecimento com desafios tecnológicos emergentes e de fundamental importância para a competitividade das empresas com reflexos directos na economia nacional, de forma a satisfazer as naturais e legítimas expectativas de formação dos alunos que escolhem o ISEL como Instituição de Ensino Superior, não desvirtuando as características pelas quais a nossa escola é reconhecida como entidade formadora de quadros superiores em Engenharia Mecânica.
Enquadram-se nesta especialização todos os profissionais de engenharia com responsabilidades pela manutenção, assegurando a segurança operacional dos activos assim como a sua disponibilidade, tendo em conta diversos parâmetros tais como a fiabilidade, a manutibilidade, a eficiência e a eficácia do seu funcionamento.

A sua intervenção pode ser exercida a diferentes níveis, desde a fase de projecto até à reabilitação de equipamentos, passando pela selecção e implementação de novos equipamentos, desenvolvimento de tarefas de gestão e de engenharia e pela consultoria técnico-económica e prestação de serviços no âmbito da manutenção e da reabilitação.

A intervenção destes profissionais de engenharia na fase do projecto, visará assegurar a manutibilidade dos sistemas e equipamentos para que eles possam cumprir o ciclo de vida expectável ao mais baixo custo. Como exemplo, podem ser citados os estudos de ciclo de vida de sistemas e equipamentos de responsabilidade maior, onde são exigidas pelas contratantes análises de RAMS (“Reliability, Availability, Maintenability and Safety” – Fiabilidade, Disponibilidade, Manutibilidade e Segurança Operacional). Este tipo de análises deve ser feita por especialistas, entre os quais se encontram os profissionais de engenharia a desempenhar funções no domínio da manutenção. É uma actividade emergente em Portugal, mas já com bons exemplos de aplicação.

É também desejável a intervenção destes profissionais de engenharia na selecção e implementação de novos equipamentos, visando a sua manutenção. Este tipo de actividade aparece como extremamente relevante em empresas com níveis de desempenho técnico elevado e poderá ser complementar à mencionada no parágrafo anterior. Deste modo, serão criadas as condições para que as opções de fiabilidade e manutibilidade tomadas no projecto inicial dos sistemas e equipamentos sejam implementadas na prática, conseguindo-se assim que a disponibilidade operacional se aproxime o mais possível da disponibilidade intrínseca. Minimizam-se desta forma os riscos de uma selecção ou implementação incorrectas desses sistemas ou equipamentos, sejam eles de que natureza forem e face ao ambiente operacional em que vão estar integrados.

Será ainda expectável o envolvimento destes profissionais de engenharia no desenvolvimento de tarefas de gestão e de engenharia, como quadros superiores das empresas, conducentes à realização de tarefas de manutenção. Sendo este o tipo de actividade mais habitual nas empresas portuguesas, tem-se observado grandes alterações na forma de a concretizar, nomeadamente como consequência do desenvolvimento de novas metodologias de gestão global, em que a manutenção está naturalmente integrada e face ao desenvolvimento de novas técnicas de monitorização dos equipamentos produtivos (análise de lubrificantes, análise de vibrações, termografia, análise de parâmetros eléctricos, etc.). A competitividade das empresas vem exigindo a utilização de equipamentos com uma incorporação de tecnologias emergentes cada vez maior e em constante evolução.

Será ainda de perspectivar a intervenção dos diplomados com o Curso de Mestrado em Engenharia da Manutenção na reabilitação de equipamentos, cuja utilização continua a ser técnica e economicamente viável, mas que foram sofrendo uma degradação importante ao longo do seu ciclo de vida. Esta reabilitação pode levar esses equipamentos para níveis de qualidade superiores aos existentes anteriormente, podendo inclusive serem-lhe atribuídas funções de natureza diferente das existentes inicialmente.

Finalmente os diplomados com o curso em apreço ficaram habilitados a desempenhar funções de consultoria técnico-económica e prestação de serviços no âmbito da manutenção e da reabilitação. Este tipo de actividade reveste-se da maior importância na actualidade, já que o desenvolvimento da subcontratação na área da manutenção tem permitido o recurso por parte das empresas a profissionais com experiência horizontal ou específica nos diferentes sectores de intervenção. A experiência recente do desenvolvimento em Portugal de empresas especializadas na organização e gestão da manutenção com recurso a suportes informáticos ou de empresas de manutenção de equipamentos públicos ou privados reflectem bem a importância actual da consultoria e prestação de serviços na manutenção.