Acessibilidade

Estudante Internacional

O acesso aos cursos de licenciatura passou, com a publicação do Decreto-Lei nº 36/2014, de 10 de março a contar, com um novo contingente a partir do ano letivo 2014/2015: o estudante internacional.

  • QUEM É O ESTUDANTE INTERNACIONAL?

    É o estudante que não tem nacionalidade portuguesa.

    Exceções:

    • Nacionais de um Estado membro da União Europeia;
    • Os que, não sendo nacionais de um Estado membro da União Europeia, residam legalmente em Portugal há mais de dois anos, de forma ininterrupta, em 31 de agosto do ano em que pretendem ingressar no IPL, bem como os filhos que com eles residam legalmente;
    • Os que requeiram o ingresso no ensino superior através dos regimes especiais de acesso e ingresso regulados pelo Decreto-Lei n.º 393-A/99, de 2 de outubro, alterado pelo Decreto-Lei n.º 272/2009, de 1 de outubro.
    • Frequentem o IPL no âmbito de um programa de mobilidade internacional para a realização de parte de um ciclo de estudos de uma instituição de ensino superior estrangeira com quem o IPL tenha estabelecido acordo de intercâmbio com esse objetivo.
  • OS CANDIDATOS TÊM DE SER TITULARES DE QUE DIPLOMAS?
    • Diploma do ensino secundário português
    • Diploma de habilitação legalmente equivalente ao ensino secundário português
    • Titulares de uma qualificação que dê acesso ao ensino superior
  • QUAIS SÃO AS CONDIÇÕES DE INGRESSO?
    • Qualificação académica específica nas áreas do saber requeridas para o ciclo de estudos a que se candidatam
    • Nível de conhecimentos da língua portuguesa ou outra língua em que o ensino venha a ser ministrado
    • Satisfaçam os pré-requisitos fixados para o ciclo de estudos em causa no âmbito do regime geral de acesso e ingresso no ensino superior
  • QUAIS AS PROVAS DE ACESSO
    • Se for titular de um curso de ensino secundário português tem de realizar as provas de ingresso, concretizando-se através da realização de exames finais nacionais do ensino secundário;
    • Para os estudantes titulares de cursos não portugueses legalmente equivalentes ao ensino secundário português podem realizar provas de ingresso portuguesas, como aluno auto-proposto. As provas de ingresso portuguesas são realizadas em Portugal ou numa escola portuguesa no estrangeiro, devendo o candidato inscrever-se nas mesmas condições e prazos legal e regularmente previstos e divulgados pela Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) do Governo Português.
    • As provas de ingresso podem ser substituídas por exames finais de disciplinas daqueles cursos, se tiverem âmbito nacional e quando se referem a disciplinas homólogas das provas de ingresso. (Consideram-se homólogas as disciplinas que, ainda que com denominações diferentes, tenham nível e objetivos idênticos e conteúdos similares aos do programa da prova de ingresso que visam substituir)
    • As provas de ingresso podem ainda ser substituídas por exames elaborados pelas unidades orgânicas sobre matérias sobre as quais incidem as provas de ingresso nacionais.
    • As classificações das provas de ingresso nacionais e dos exames estrangeiros são válidos no ano da sua realização e nos dois anos seguintes. Para cada curso só podem ser utilizados como provas de ingresso em que seja obtida uma classificação igual ou superior à classificação mínima fixada por essa instituição para esse curso.
  • QUAL É O NÍVEL DE CONHECIMENTO DA LÍNGUA QUE O ESTUDANTE INTERNACIONAL DEVE TER ?
    • Utilizador independente da língua portuguesa ou de outra língua em que seja ministrado o ensino, correspondente ao nível B2, de acordo com o Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECRL).
    • Os candidatos internacionais que possuam apenas um domínio da língua portuguesa, ou de outra língua em que é ministrado o ensino, equivalente ao nível B1, de acordo com o QECRL, podem candidatar-se ao presente concurso de acesso, desde que se comprometam a frequentar um curso de português língua estrangeira, ou de outra língua em que é ministrado o ensino, ficando a confirmação da inscrição na unidade orgânica dependente da obtenção do nível B2 dessa língua.
  • REGULAMENTO
  • VAGAS

    Curso de Licenciatura

    Vagas

    Engenharia Civil

    15

    Engenharia Mecânica

    30

    Engenharia Eletrónica Telecomunicações e Computadores

    10

    Engenharia Informática e Computadores

    4

    Engenharia Informática e Multimédia

    2

    Engenharia Electrotécnica

    19

    Engenharia Química e Biológica

    15

  • CALENDÁRIO

    Calendário de acesso e ingresso a ciclos de estudo de licenciatura de alunos internacionais

    Despacho nº50-IPL/2017

  • EMOLUMENTOS

    Valor: 3800€/Ano letivo

  • DOCUMENTOS A APRESENTAR NA CANDIDATURA
    • Fotocópia do passaporte ou do documento de Identidade Estrangeiro
    • Declaração sob, compromisso de honra, de que o candidato não tem nacionalidade portuguesa nem está abrangido por nenhuma das exceções definidas
    • Documento comprovativo da conclusão do ensino secundário português ou equivalente
    • Documento comprovativo de que a qualificação académica faculta, no país em que foi obtida, o acesso ao ensino superior, devidamente validado pela entidade consular competente desse país
    • Diploma comprovativo de conhecimento da língua em que o ensino vai ser ministrado correspondente ao nível B2 de acordo com o QECRL ou declaração emitida se forem frequentar o curso de português língua estrangeira
    • Documento comprovativo da realização dos pré-requisitos fixados para o ciclo de estudos em causa
    • Outros documentos solicitados pelas unidades orgânicas
    • Os documentos devem ser traduzidos sempre que não forem emitidos em português, inglês, francês ou espanhol, e visados pelo serviço consular ou apresentados com a Apostilha de Haia pela autoridade competente do Estado de onde é originário o documento