Acessibilidade
Evento
Seminário - Mentes Digitais: Ficção Científica ou Futuro Próximo?”

Seminário - Mentes Digitais: Ficção Científica ou Futuro Próximo?”

ISEL; AUDITÓRIO A, 19 / Mar / 18 às 14:00

TÍTULO: Mentes Digitais: Ficção Científica ou Futuro Próximo?

ORADOR: Arlindo Oliveira (Departamento de Engenharia Informática, Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa)

DATA E HORA: 2ª feira, 19 de Março de 2018, 14H00

LOCAL: Auditório A, ISEL

RESUMO:

O que têm em comum os computadores, células e cérebros? Os computadores são dispositivos eletrónicos concebidos por humanos; as células são entidades biológicas criadas pela evolução; os cérebros são os recipientes e criadores das nossas mentes. Mas todos eles são, de uma forma ou de outra, aparelhos de processamento de informação. O poder do cérebro humano é, para já, insuperável por qualquer máquina ou ser vivo existentes. Com milhares de anos de evolução, o cérebro permitiu-nos desenvolver ferramentas e tecnologias que facilitam as nossas vidas. Os nossos cérebros permitiram-nos mesmo criar computadores que são quase tão poderosos como o cérebro humano em si. Neste seminário, descreve-se como os avanços na ciência e tecnologia podem permitir a criação de mentes digitais.

O crescimento exponencial é um padrão profundamente incorporado no esquema da vida, mas o avanço tecnológico promete agora ultrapassar ainda a mudança evolucionária. Descreve-se avanços tecnológicos e científicos que vão desde a descoberta das leis que controlam o comportamento de campos eletromagnéticos até ao desenvolvimento de computadores. A seleção natural é descrita como o algoritmo por excelência, discutindo-se ainda a genética e evolução do sistema nervoso central, e passando por uma descrição do papel que a imagem computacional tem na compreensão e modelação do cérebro.
Considerando o comportamento do sistema singular que cria uma mente, o orador debruça-se sobre uma questão inevitável: é o cérebro humano o único sistema capaz de acolher uma mente?

Se as mentes digitais se tornarem uma realidade e, de acordo com o orador, é difícil argumentar que isso não irá acontecer quais são as implicações sociais, legais e éticas? Serão as mentes digitais nossas parceiras ou rivais?