Acessibilidade
Notícia
Fator ISEL no “radar das emoções”

Fator ISEL no “radar das emoções”

Notícia escrita em 13/02/2020

 

Pedro Pinho, docente do ISEL e investigador sénior do Instituto de Telecomunicações é um dos membros da equipa de investigação que desenvolveu o radar das emoções. O dispositivo em questão, consegue recorrendo apenas a ondas eletromagnéticas, detetar com sucesso algumas emoções sem qualquer recurso a fios ou ligações entre a pessoa e o dispositivo.  

O objetivo é compreender o estado emocional de uma determinada pessoa: ao receber o eco enviado pelo aparelho, é possível monitorizar o seu ritmo respiratório. O que, aliado a um algoritmo de processamento de sinal, torna possível identificar três tipos de emoções: o medo, a alegria e um estado neutro (quando não se destacar nenhuma emoção em particular). Num futuro próximo, a equipa de investigadores acredita que o seu bio radar também conseguirá identificar emoções como o nojo ou a tristeza.

O diagnóstico do espectro do autismo ou da hipersensibilidade ao toque são algumas das aplicações mais previsíveis, já que este “radar das emoções” — que vem sendo desenvolvido no instituto de telecomunicações desde 2017 — tem provado a sua eficácia num contexto de populações clínicas com problemas de comunicações ou patologias do foro comportamental. A apatia ou a sonolência ao volante são outros exemplos.

No ISEL, Pedro Pinho é também docente da Área Departamental de Engenharia Eletrónica e Telecomunicações e de Computadores, vulgo “ADEETC”.

FOTOS: Universidade de Aveiro