Passar para o conteúdo principal
Notícias
22/05/2024
Promover o prazer da escrita e divulgar trabalhos reconhecidos como “boas práticas” de escrita é o objetivo do Prémio Literário Belas Letras instituído pelo Politécnico de Lisboa. Os vencedores recebem 80% da propina do ano letivo em que estejam inscritos, bem como à atribuição de um Diploma. Os textos inéditos, condição para a participação, foram analisados nas categorias Prosa e Poesia, de acordo com critérios de originalidade e criatividade, coerência e coesão e correção linguística. Os resultados da edição de 2024 do Prémio Literário Belas Letras foram: na categoria Prosa, o vencedor foi Paulo Gabriel Cangussu Rodrigues, do Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Na categoria Poesia, venceu Bruno André Leite Martins, do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa. Resultados do Prémio Literário Belas Letras 2024 Prémios Vencedores Unidade Orgânica Texto Categoria Prosa Paulo Gabriel Cangussu Rodrigues Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Um Curumim Poeta Categoria Poesia Bruno André Leite Martins Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa Visão existencial   Resultados Prémio Belas Letras (ata n.º 2) Critérios de seriação (ata n.º 1) Regulamento do Prémio Literário Despacho de nomeação do Júri 2024   Júri do Concurso Presidente Vogais Professora Maria João Escudeiro Vice-presidente do IPL Professora Marta Mendes Escola Superior de Teatro e Cinema Professora Adriana Cardoso Escola Superior de Educação de Lisboa Professora Antónia Estrela Escola Superior de Educação de Lisboa Mais informações: gci@sp.ipl.pt Texto e imagens GCI/IPL
22/05/2024
No âmbito do Programa Erasmus+, o Departamento de Engenharia Civil recebeu, na semana de 6 a 10 de maio, a Professora Anna Juzwa, do Instituto de Construção, da Faculdade de Engenharia de Materiais, Construção e Meio Ambiente da Universidade de Bielsko-Bialski, na Polónia, tendo sido criados vários momentos de encontro, envolvendo docentes e alunos, com uma enriquecedora troca de experiências. Entre outras atividades, destaca-se a lição proferida sob o tema “Selected geotechnical problems of the highway infrastructure in Poland”, para alunos da Licenciatura em Engenharia Civil e da Licenciatura em Tecnologias e Gestão Municipal.  
15/05/2024
No âmbito do mecenato, a REN (Redes Energéticas Nacionais) realizou uma doação de material informático ao Future Internet Lab do ISEL. Esta contribuição tem como objetivo a renovação dos equipamentos nos laboratórios, impulsionando assim a capacidade de investigação e desenvolvimento tecnológico nesta instituição de ensino superior. No dia 8 de maio de 2024, ocorreu a visita técnica da REN ao ISEL, assinalando um momento importante da doação. Na ocasião o presidente do ISEL, professor José Nascimento, agradeceu o equipamento e referiu que, desta forma, a já histórica ligação entre as instituições fica fortalecida. Jorge Mendes, engenheiro responsável de infraestruturas e operações de TI da REN e antigo aluno do ISEL, destacou os esforços contínuos da empresa em prol do desenvolvimento sustentável e do apoio às comunidades. No evento marcaram ainda presença o vice-presidente da área de infraestruturas e informática, professor Pedro Silva, a assessora para a área da comunicação, professora Filipa Almeida, o vice-presidente do departamento de Engenharia Eletrónica e Telecomunicações e de Computadores, professor Manuel Barata, o responsável pelo Future Internet Lab, professor Nuno Cruz e o professor Nuno Cota, fundador deste laboratório. O gesto da REN, além de beneficiar diretamente o ISEL, serve como um exemplo inspirador de como as empresas podem contribuir para o progresso do ensino superior e da inovação em Portugal. Realçando a importância de fortalecer relações entre o setor empresarial e as instituições de ensino, incentivando uma maior colaboração e investimento no avanço educacional e tecnológico.  
14/05/2024
Decorreu, no dia 23 de abril, no TERINOV - Parque de Ciência e Tecnologia da Ilha Terceira, em Angra do Heroísmo, Açores, o evento de encerramento do projeto CUSTODIAN, no qual o ISEL participou. No âmbito deste projeto, onde participou o grupo de docentes Future Internet Technologies (DEETC/ISEL), tendo como investigador responsável o professor Carlos Mendes, foi desenvolvido um sistema inovador que permite que as embarcações de pesca ou um sistema colocado em terra possam receber, a cada instante, a localização das artes de pesca, assim como receber avisos e alertas personalizados sobre as derivas de posição do equipamento e condições do mar. Permite, ainda, a troca de mensagens bidirecionais terra-mar, suprindo assim a falta de conectividade entre pescadores e terra utilizando comunicações móveis clássicas, que se verifica a distâncias moderadas da costa. Destacando-se pelo seu impacto e inovação no campo da sustentabilidade ambiental, o CUSTODIAN teve como objetivo enfrentar os desafios ambientais contemporâneos, propondo soluções e práticas que visam apoiar os pescadores e autoridades locais na preservação dos habitats marinhos, através, por exemplo, da potenciação de diminuição de extravio de artes de pesca, da diminuição do tempo e combustível despendidos na recolha ou recuperação das mesmas ou da geração de alertas aquando da entrada em zonas protegidas. Este projeto, financiado pelo Programa Crescimento Azul dos EEA Grants Portugal resulta de um consórcio internacional liderado pela empresa SOLVIT - Innovation on Telecommunications, em parceria com o AIR Centre - Atlantic International Research Centre, a LOTAÇOR - Serviço de Lotas dos Açores, S.A , a Docapesca - Portos e Lotas, S.A., o ISEL, a UAVision, a Norwegian University of Science and Technology (NTNU) e o TERINOV - Science and Technology Park.     Imagens: TERINOV - Science and Technology Park
14/05/2024
Na 8ª edição do TecStorm, a equipa BAMN - Bistable Auxetic Materials (for the) Neck), formada por estudantes do ISEL, conquistou o segundo lugar na categoria Health 4.0 com um projeto promissor. O evento, conhecido como a principal competição tecnológica do país, destaca-se por promover o empreendedorismo jovem e o desenvolvimento de ideias inovadoras com potencial para transformar a sociedade. O TecStorm decorreu na Fundação Champalimaud, em Lisboa, nos dias 19, 20 e 21 de abril. Durante 24 horas, a equipa da BAMN teve a oportunidade de explorar a ideia que conceberam: um colar cervical médico de emergência utilizando materiais auxéticos. Para os membros da equipa, composta pelas alunas Beatriz Costa e Mariana Neto do 2.º ano da Licenciatura em Engenharia Biomédica do ISEL, juntamente com o aluno Guilherme Santos do 2.º ano da Licenciatura de Desenvolvimento de Software e Aplicações do ISCTE, esta experiência foi profundamente enriquecedora. Através da colaboração e do intercâmbio de conhecimentos, aprenderam valiosas lições que pretendem aplicar no futuro. Encaram este feito como o começo de um percurso promissor. A equipa foi apoiada, desde a conceção até à criação do projeto, pelos professores Tiago Charters de Azevedo (DM/ISEL e Oficina Digital do ISEL), Nuno Costa e Joana Silvestre, tendo este apoio sido fundamental no processo de desenvolvimento. Estudantes e docentes felicitam toda a equipa da Junitec pela iniciativa.   Imagens: Beatriz Costa e Mariana Neto
10/05/2024
O ISEL, tendo como investigador responsável o professor Henrique Miranda (DEC/ISEL) e a Brisa Concessão Rodoviária (BCR) criaram o Living Lab para investigar materiais inovadores para pavimentos que diminuam as emissões de gases com efeito de estufa e aumentem a eficiência no uso de recursos naturais para a conservação da rede de autoestradas. No total, já foram desenvolvidos seis testes piloto numa extensão de quase 10 quilómetros na A3, a autoestrada que liga o Porto a Valença, e na A6, que liga a Marateca a Caia. Entre os materiais aplicados destacam-se os plásticos reciclados e a borracha proveniente de pneus em fim de vida, através de uma nova tecnologia inédita na Europa. Trata-se de uma solução inovadora que consiste na digestão completa da borracha reciclada de pneus em fim de vida no betume, permitindo a alteração das suas características físicas e químicas, incrementando a durabilidade e resiliência dos pavimentos, potenciando ainda a utilização de misturas betuminosas recuperadas. Estes testes permitem avaliar a utilização de misturas betuminosas recuperadas de pavimentos, em percentagens de 20% e 30%, que pela primeira vez vão ser utilizados em camadas de desgaste de autoestradas nacionais. Outros testes incidem sobre a utilização de grafeno, que tem o potencial de aumentar a durabilidade dos pavimentos. As soluções que estão a ser testadas permitem reduzir a extração de agregados de pedreiras, bem como o consumo de betume proveniente da destilação do petróleo, quer pela utilização de misturas betuminosas recuperadas, quer pela utilização de pneus em fim de vida ou de plásticos reciclados. Estes testes visam avaliar as possibilidades de diminuir o impacto ambiental na conservação das autoestradas, com uma redução anual potencial de 600 toneladas de CO2 para a atmosfera, o equivalente a 23 mil viagens de automóvel entre Lisboa e Porto, e uma redução de 19 mil toneladas de resíduos, contribuindo para a valorização destes materiais e a implementação de uma economia cada vez mais circular. O Living Lab é um projeto aberto a vários parceiros e fornecedores, que congrega já empresas parceiras como a Cepsa, JRS Rettenmaier, Polyco e a Iterchimica e fornecedores como a Sirplaste, Gabriel Couto, Mota Engil, Alves Ribeiro, Tecnovia. O objetivo do ISEL e da BCR é ampliar o número de soluções e de parceiros aderentes à iniciativa. Reportagem fotográfica de @lilianadiasfotografia