Acessibilidade

Engenharia Informática e de Computadores

Engenharia Informática e de Computadores

O ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado em Engenharia Informática e de Computadores resulta do aprofundamento dum perfil profissional reconhecido pelo mercado empregador nacional e internacional. A inovação e o aperfeiçoamento pedagógico reconhecidos são consequência da vasta experiência do corpo docente e do seu envolvimento em atividades de investigação, desenvolvimento e de projeto, em colaboração com empresas e outras entidades, públicas e privadas.

Este ciclo de estudos reflete a influência da ligação à indústria, da interação com a comunidade. Trata-se duma experiência continuada de relacionamento produtivo, acompanhada pela transferência de tecnologia, formação e consultadoria, em diferentes áreas de especialização da engenharia informática e de computadores.

Novo plano curricular no semestre de inverno 2020/2021

Para o novo plano curricular que entra em funcionamento do semestre de inverno 2020/2021, considera-se, de acordo com as indicações e recomendações das ordens profissionais, que os diplomados do curso devem estar aptos para realizar os seguintes atos de engenharia informática:

  • Instalação, configuração, manutenção e administração de sistemas informáticos;
  • Conceção, desenvolvimento e administração de sistemas de informação;
  • Conceção, desenvolvimento e administração de sistemas em ambiente Web;
  • Conceção, desenvolvimento e avaliação de software em diferentes plataformas móveis e fixas, com variados níveis de recursos hardware e de conectividade;
  • Conceção, desenvolvimento e avaliação de software em plataformas alvo, envolvendo sistemas embebidos;
  • Realização, revisão e direção de projeto;
  • Ações de consultadoria e formação;
  • Realização de estudos, auditoria e ações de normalização.

Estas competências sendo transversais a várias áreas, levam a que os diplomados do curso possam desempenhar atividades em diversos setores de atividade, tais como, por exemplo: na área da banca e serviços, empresas de consultadoria, instituições de saúde, entidades da administração central, empresas de desenvolvimento de software, administração e manutenção de sistemas informáticos e administração e manutenção de sistemas de informação. Os diplomados do curso adquirem também competências para realizar trabalho, com constrições temporais significativas, de forma individual e em equipa (localizadas geograficamente no mesmo local ou não).

Os resultados de aprendizagem das Unidades Curriculares (UC) obrigatórias do plano curricular asseguram que os diplomados possuem genericamente as competências acima enumeradas. A competência de especialização na conceção, desenvolvimento e avaliação de aplicações informáticas em plataformas alvo, envolvendo sistemas embebidos é complementada pela realização de UC optativas.

Pretende-se também que os estudantes tenham a possibilidade de desenvolver trabalho e competências nas áreas de redes de comunicação de dados, inteligência artificial, codificação e compressão de dados, soft-skills e outras, através da escolha de UC optativas.

Competências

Com a conclusão do ciclo de estudos, o estudante deverá adquirir as seguintes competências:

  • Compreensão abrangente e profunda dos conceitos principais da informática, incluindo a sua aplicação e extensão;
  • Conhecimento dos princípios fundamentais de base da informática e compreensão das considerações de engenharia envolvidas na conceção de sistemas computacionais, e na sua implementação, aplicação e utilização;
  • Conhecimento dos aspetos profissionais de informática enquanto disciplina de engenharia;
  • Apreciação das tecnologias atuais e emergentes no contexto industrial e comercial;
  • Capacidade para apreciar e para se adaptar às mudanças do estado da arte na informática;
  • Formação de base em matemática discreta (lógica e teoria da computação), base formal para a informática;
  • Formação de base em matemática contínua e em estatística, relevante para aplicações em ciência, engenharia e gestão;
  • Capacidade de desenvolver trabalho crítico e independente, de forma individual ou como membro de uma equipa;
  • Experiência prática, através de trabalho de laboratório e prático apoiados e através de trabalho em grupo (de forma presencial e/ou remota) e do trabalho individual de projeto;
  • Capacidades de divulgação técnica nas formas escrita e oral, das soluções adotadas para determinado problema de engenharia;
  • Capacidade de interpretar, explicar e melhorar soluções de engenharia informática existentes.